Mochileira de Jesus

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Decolando


Fevereiro faz 3 anos que eu decolei pela primeira vez em direção ao Chile, foi um grande salto na minha vida, deixei de ser uma menina mimada e me tornei uma mulher 100% dependente de Deus, longe de tudo que me lembrava segurança.

Eu me dou conta que é impossível voar com os pés no chão, é preciso correr riscos para ir além. Não sei se é porque sempre gostei de esportes radicais, mas meu corpo sente abstinência a adrenalina de exercitar a fé, a zona de conforto me deixa entediada.

A verdade é que depois de 3 anos aqui em Santiago, sinto que essa cidade é meu ninho e tenho certeza, que essa vontade nômade daqui a pouco vai explodir e vou viajar para outro lugar, talvez agora em um país mais longe da casa da mamãe e que fale um idioma mais complicado, sinto falta de ouvir palavras que eu não entendo, comer comida diferente e de me espantar com a diferença e igualdade da minha vida com a de estranhos.

Nunca sonhei em ser missionária, mas me dei conta que eu sempre fui, e seria muito infeliz trancada dentro de uma igreja por toda minha vida. Talvez um dia isso mude (tomara que não) mas enquanto durar eu vou fazer o impossível para alimentar essa fome de cultura.

Nós missionários, assim como os jesuítas as vezes queremos chegar em um lugar com nossa verdade, mas a missão não é essa, eu gosto do slogan da Jocum que diz "Conhecer a Deus para fazer-lo conhecido". Sempre que viajo para revelar Deus para outros, Deus se revela a mim por meio das pessoas e acabo aprendendo mais que ensinando.

A frase de Elizabeth Gilbert em "comer, rezar e amar" é provada a cada viagem da minha vida:

"Quando você viaja para ajudar o mundo, todo o mundo ajuda você".

Sinto que Deus reservou tesouros para mim, e os guardou em vários lugares. Minha missão é encontrar-los e dizer o quanto eles são preciosos.

Preciosidades como Elisa (4 anos) e sua família, que vivem em Malaui, onde o salário mínimo é menos que 20 reais mensais, e ainda assim são um exemplo de felicidade para muitas famílias ocidentais.

Pode ser que alguns desses tesouros eu não conhecerei pessoalmente (como você que está lendo) mas quero que de alguma forma que você saiba que existe algo único dentro de você que já não pode ser mais escondido e todos esperam o seu manifestar. Não sou escritora de auto-ajuda, mas acredito que somos feitos a imagem de Deus que é amor, e por mais longe disso que parecemos ainda carregamos em nosso interior essa porção divina e única, que pessoas desconhecidas, de diferentes raças e culturas esperam conhecer.

Porque a criação aguarda com ardente expectativa a revelação dos filhos de Deus. Romanos 8:19

Decole!!! Tire os pés do chão, saia da zona de conforto. A vida é mais do que comer, trabalhar e dormir.

Se você nunca sair de casa, nunca verá o grande presente lá fora esperando você abrir.

4 comentários:

  1. querida escritora:
    Ainda que os frutos sirvam para identificar a arvore, muitas vezes é preciso dar "aquela mordida" para saber o seu estado. Neste caso os teus frutos falam tão alto, que nem precisaria da mordida. Lindo trabalho, linda maneira de se expressar, lindo teu coração...Lindo Jesus em voce.

    ResponderExcluir
  2. Meniiina que demais!!! Amei sua reflexao. Vc e demais....creio que tem toda razao.
    Tem pessoas que pregam...mas estao rodeadas de conforto e seguranca....ai e a questao...muita reflexao Day. Bjs.Luzia

    ResponderExcluir